sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Ouve, Mãe

Ouve mãe:
não me importo
do que sofreste em mim.
Só me importo dos sonhos
que rasgaste, a sorrir,
naqueles dias longos
do menino a dormir.
De tudo o que quiseste
nada viste cumprido;
em nada sou aquele
que pensaste criar
- ficaste na maré
sem nunca ver o mar!
A culpada é a vida
que me deu este olhar
perdido na distância
e este amor violento...
Mãe,
já tentei ser melhor:
Mas o meu sonho é lento...!
Vasco de Lima Couto

1 comentário:

Enviar um comentário